Crítica - O Predador ( Por Edmo Jr. ) - Os Cinéfilos

Crítica - O Predador ( Por Edmo Jr. )

homem Aranha
Por Edmo Jr.

Após tanta espera, O Predador ( The Predator ) chega aos cinemas, dirigido por Shane Black ( Beijos e Tiros, Homem de Ferro 3 ), a sequência espera revitalizar a franquia.

A premissa do filme é sobre um menino que está de posse de um artefato alienígena ( como visto nos trailers ), e faz com que o predador retorne à terra, agora mais forte e inteligente do que nunca. Um grupo de soldados e uma bióloga/geneticista se juntam para lutar contra essa ameaça e proteger o futuro da raça humana.

Quinn McKenna, interpretado por Boyd Holbrook ( Narcos, Logan ), é um sniper das Forças Especiais, que após um incidente, tem seu primeiro contato com a raça alienígena, e acaba sendo levado pelo exército, em seu caminho, ele conhece Nebraska Williams, interpretado por Trevante Rohodes, Coyle de Keegan-Michael Key ( Friends From College ), Baxle de Thomas Jane ( O Justiceiro ), Nettles de Augusto Aguilera ( Chasing Lifes ) e Linch, vivido por Alfie Allen ( Game of Thrones ), o grupo que por fim de denomina "os lunáticos", cruza caminho com a bióloga/ geneticista Casey Bracket, interpretada por Olivia Muun ( X-Men: Apocalipse ). Sterling K. Brown ( This Is Us ) interpreta Will Traeger, personagem que lidera o projeto Stargazer, que pesquisa sobre as criaturas do espaço.

Com relação ao elenco, a química entre os atores, "os lunáticos", é muito boa, destaque para Thomas Jane e sua síndrome de tourette, a maioria dos personagens tem sua história de fundo explorada para mostrar como chegaram ali, naquele momento, uma que talvez te deixe se perguntando "como ela faz isso?", é Casey, de Olivia Munn, que demonstra algum treinamento militar ou habilidades com armas, algo que poderia ter sido explorado sobre seu passado, mas que fica em aberto, cabe ao espectador imaginar que tal coisa aconteceu, ou se frustrar pensando no que poderia ser um furo no roteiro. Outro destaque do elenco é Jacob Tremblay ( O Quarto de Jack ), que interpreta Rory, uma criança um tanto especial ( só assistindo ao filme pra saber o motivo ). 

As criaturas dispensam comentários, o visual continua espetacular ( para quem é fã da franquia e ficção científica ), destaque claro, para o Predador Supremo ( Ultimate Predator ), como visto nos trailers, inteiramente criado em CGI, que mesmo nas cenas mais escuras, faz qualquer um deixar de ser ateu e rezar por suas vidas.

Shane Black, que interpretou o soldado Hawkins no primeiro filme da franquia (1987), entrega um filme sem alguns de seus vícios como diretor, a tal narração em off e meio arrastada, as idas e vindas na linha temporal do filme, vistas no ótimo Beijos e Tiros, e o não tão bom, Homem de Ferro 3 ( desculpe, esse tipo de narrativa não funcionou no filme da Marvel, na minha opinião ), o que neste, é uma vantagem sua ausência, o filme começa com um ritmo um tanto frenético, depois dá uma desacelerada, mas logo volta ao ritmo inicial.

A trilha sonora ficou a cargo de Henry Jackman ( Kingsman 2 ), que usou e abusou do tema clássico da franquia, ao mesmo tempo introduzindo algo novo, ponto muito positivo para o filme!

Sobre o tom do filme, por mais violenta que a franquia possa ser, visto a censura dos filmes, é impossível ter um núcleo de personagens chamados "lunáticos", sem algum humor, está presente nos diálogos, nas ações, não torna o filme leve, longe disso, mas traz novos ares para a franquia, que já vinha merecendo algo do tipo há algum tempo.

Com um filme que traz referências aos filmes anteriores da franquia, e expandindo sua mitologia, o filme deve agradar os fãs mais nostálgicos, e atrair novos para a amada franquia!



Nota 8,5

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.