Crítica: Homem-Aranha No Aranhaverso ( Por Junior Fernandez ) - Os Cinéfilos

Crítica: Homem-Aranha No Aranhaverso ( Por Junior Fernandez )

homem Aranha

Por Junior Fernandez

Amigos da Sétima Arte 

Vamos falar de poderes e de responsabilidade?

Sabe aquele herói diferenciado, que têm contas pra pagar, problemas familiares, dificuldade em relacionamentos, e que por mais incrível e espetacular que seja, é o mais humano de todos? Sim, é claro que todos nós sabemos, ele é o amigo da vizinhança e acaba de estrear nos cinemas mais uma vez em Homem-Aranha no Aranhaverso (Spider-Man: Into The Spider-Verse), um filme de animação, uma coprodução da Columbia Pictures e Sony Pictures Animation associados à Marvel Enterteinment, aquela famosa parceria que já está dando o que falar. 

Partimos da primícia de que todos conhecemos o nosso herói e sua gênese (são anos de quadrinhos, desenhos e filmes), só que desta vez além de Peter Parker (temos também a presença da Spider-Gwen na divisão do protagonismo), iremos conhecer a fundo a história de Miles Morales (criado no Universo Ultimate), um jovem estudante negro morador do gueto Nova-iorquino, filho de um policial linha dura e uma enfermeira latina, que está envolvido com todos os seus dilemas adolescentes, e é envolto à sua transformação em Homem-Aranha porém não estará sozinho nesta aventura o mundo que lhe será apresentado é que para cada universo alternativo e paralelo, temos um tipo de Homem-Aranha, e lidar com tudo isso é arriscado, inusitado e deveras interessante.

Tudo isso posto e a apresentação de cada personagem distinto, fora a parte onde estilos diferentes de animação (vide os Aranhas: Spider-Ham, Aranha-Noir e Peni Parker) provam que uma excelente equipe coligada à uma história bem elaborada e um roteiro auto explicativo, só poderia ser uma magnífica e grata surpresa. Este projeto todo demorou alguns anos para sair do papel e a tríplice direção de Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman, formaram a equipe perfeita, somados aos produtores Phil LordChristopher Miller que conseguiram o equilíbrio perfeito dos personagens no multiverso e fora as referências, piadas e homenagens. 

Uma primazia da animação que já rendeu prêmio (Globo de Ouro) e possivelmente sequência e derivados.

Ps: "A pessoa que ajuda as outras porque isso deve ser feito, e porque é a coisa certa a se fazer, é sem dúvidas um super-herói". Stan Lee.


Nota 9,5

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.