Crítica - Hellboy ( Por Edmo Jr. ) - Os Cinéfilos

Crítica - Hellboy ( Por Edmo Jr. )

homem Aranha


Por Edmo Jr.

Enfim o reboot de Hellboy chega aos cinemas (brasileiros, na gringa estreou em abril), o personagem criado por Mike Mignola retorna dessa vez interpretado por David Harbour e dirigido por Neil Marshall, o filme chega com a promessa de ser uma adaptação mais fiel aos quadrinhos originais da Dark Horse Comics.

No filme, a antiga feiticeira Nimue, conhecida como a Rainha de Sangue, interpretada por Milla Jovovich, volta à vida para se vingar da raça humana e trazer as criaturas das trevas para o mundo dos homens, cabe a Hellboy, claro, impedir que tal coisa aconteça.

Harbour manda muito bem no papel, com alguma liberdade à mais do que a versão anterior do personagem, em certo momento, a versão de Harbour do personagem se aproxima do trabalho de Ron Perlman no papel (que mandou muito bem também), acompanhando o garoto do inferno, estão Ian McShane, como Trevor Bruttenholm, o pai adotivo de Hellboy, que dispensa comentários, Daniel Dae Kim com Ben Daimio e Sasha Lane como Alice Monaghan, ajudando Hellboy e o BPDP (Bureau de Pesquisa e Defesa Paranormal) a enfrentar a ameaça que se aproxima.

Este filme não se trata de um filme de origem, quando vemos Hellboy, o personagem já está estabelecido e com uma vasta historia de fundo a ser explorada, o que acontece, claro, durante o filme, e isso conta também para personagens como Daimio e Alice, não por falta de tempo para desenvolver, mas para revelar como chegaram ali.

O ponto negativo (minha opinião), é o roteiro, que parece apressar os eventos, junte isso à uma edição rápida, que é certeira nas cenas de ação (ponto positivo), mas que em momentos que deveria desenvolver certos acontecimentos, não o faz. O desenvolvimento da própria vilã, Nimue, é apressado, apesar de ter sua origem contada no prólogo do filme. O que talvez cause estranheza para alguns, é a introdução de mais personagens dos quadrinhos nunca antes vistos nas telas, como a bruxa Baba Yaga e o Gruagach, seres medonhos. Os efeitos especiais e visual dos personagens, merecem crédito, trazendo à vida mais personagens e cenários vistos nos quadrinhos originais.

Mas não se engane, Hellboy não é um filme com tanto humor quanto foi mostrado no primeiro trailer, não é o tipo de filme de super-herói que você deva levar as crianças para assistir (até por causa da censura, 16 anos), o filme abusa do visual dos quadrinhos, das cenas sangrentas, a tal violência gráfica e tudo o que faz de Hellboy um sucesso nas HQs.

Neil Marshall se esforça para entregar um filme fiel as suas raízes nos quadrinhos, Mike Mignola, criador do personagem, também assina o roteiro ao lado de Andrew Cosby e Christopher Golden, entregando um filme sombrio, violento e sangrento, diferente do habitual.

No fim, Hellboy é um filme que deve agradar os fãs de quadrinhos e aqueles que estão abertos à releitura de seus personagens.


Ps: o filme possui uma cena durante os créditos finais.



Nota 7,5

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.